Artigos e Dicas

Iniciamos este artigo desmitificando um termo muito utilizado pelas pessoas que possuem um jardim dentro de casa: é o tal “jardim de inverno”. O jardim de inverno na verdade só pode existir em regiões com inverno muito rigoroso, geralmente com a presença de neve ou fortes geadas, as quais de fato podem exterminar um jardim exposto a tais fenômenos. Para proteger então esses jardins criamos um ambiente diferenciado, geralmente uma estufa ou construção similar, de telhado transparente para que a luz solar penetre e permita o desenvolvimento das plantas existentes em seu interior. Tais estruturas podem ter o telhado de vidro ou outro material translúcido desde que seja também resistente às intempéries climáticas citadas anteriormente. Por isso, normalmente, pelo menos aqui em nossa região de clima tipicamente tropical, o que encontramos em área de luz existente no interior de algumas residências é o jardim interno e não de inverno!

A possibilidade de termos um jardim interno é muito interessante uma vez que trazendo o jardim para o interior da casa o mesmo passa a interagir com a paisagem local propiciando mais beleza e aconchego aos ambientes.

Para este tipo de jardins precisamos de uma boa luminosidade e circulação de ar. A partir daí vários tipos de jardins podem ser construídos nestes espaços, sempre levando em consideração dados como: o tamanho da área disponível, o estilo da casa, a disponibilidade de manutenção, a facilidade de acesso ao local e a intensidade de luminosidade entre outros.

Normalmente estes espaços destinados aos jardins internos são pequenos e totalmente impermeabilizados, restando para nós, paisagistas, o artifício dos jardins verticais (aqueles instalados nas paredes com o auxílio de vasos, treliças, painéis, blocos cerâmicos, outros), ou da utilização de vasos e jardineiras.

O jardim interno pode ser apenas contemplativo, no qual as pessoas possam observá-lo a partir de outro local da casa ou, pode ser interativo, onde as pessoas têm a oportunidade de adentrá-lo e interagirem neste ambiente, o qual pode abrigar objetos como mesa e cadeiras, bancos, redes, fontes ou cascatas e até outros objetos decorativos.